Whatsapp icon Whatsapp

Regência do verbo “responder”

O verbo responder pode assumir diferentes sentidos, que determinam sua regência específica em cada uma das acepções.
Na oração acima, o verbo responder pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “ser responsável”
Na oração acima, o verbo responder pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “ser responsável”

Observe as orações a seguir:

(1) A professora respondeu à pergunta daquele aluno.

(2) Às acusações o jovem advogado respondeu com clareza.

(3) Um carro buzinou, outro respondeu.

(4) O pai respondeu pelo ato do filho menor de idade.

Conseguimos perceber que, apesar de ser o mesmo verbo que compõe as orações, ele apresenta sentidos diferentes para cada enunciado, não é mesmo? Assim, em (1), o verbo expressa a ideia de “dar resposta”; em (2), o sentido é de “replicar”; em (3), expressa “repetir o som”; e, em (4), a acepção é de “ficar responsável”. Diante desses sentidos, é possível ainda notar que, para cada um deles, a regência do verbo muda, ou agindo como verbo transitivo, ou como intransitivo. Vamos estudar esses casos detalhadamente a seguir:

a) Quando o verbo responder possui o sentido de “dar resposta”, “dizer ou escrever em resposta”, é um verbo transitivo que exige:

  • um objeto indireto em relação à pergunta.

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplo:

A professora respondeu à pergunta.

Exemplo:

Ele respondeu minhas cartas.

  • um objeto direto e indireto:

Exemplo:

Respondeu-me que seria impossível conseguir o empréstimo.

b) Quando o verbo responder possui o sentido de “replicar”, “retorquir”, é um verbo transitivo que pede, normalmente, um objeto indireto:

Exemplo:

Às acusações o jovem advogado respondeu com clareza.

c) Quando o verbo responder possui o sentido de “repetir a voz, o som”, não pede complemento verbal, sendo, portanto, verbo intransitivo.

Exemplo:

Um carro buzinou, outro respondeu.

d) Quando o verbo responder possui o sentido de “ser responsável”, “responsabilizar-se”, “fazer as vezes”, é um verbo transitivo que pede objeto indireto acompanhado da preposição “por”.

Exemplo:

O pai respondeu pelo ato criminoso do menor de idade.

Publicado por Mariana Rigonatto

Artigos Relacionados

Regência Verbal de alguns verbos
Esclarecimentos sobre a regência correta de alguns verbos que geram dúvidas.
Regência de verbos com sentido contrário
Porventura, como anda sua competência linguística? Caso deseje aprimorá-la ainda mais, acesse e confira acerca da regência de verbos com sentido contrário.
Regência do verbo acusar
A regência do verbo acusar é determinada por meio dos sentidos por ele apresentados.
Regência do verbo agradecer
Que tal conhecer a regência do verbo “agradecer”? Com certeza você não terá mais nenhuma dúvida em relação a esse fato linguístico, pois é só clicar!
Regência do verbo falar
A depender dos complementos inerentes ao verbo “falar”, este obedece a regências distintas. Certifique-se desse fato linguístico aqui!
Regência do verbo insistir
Analisando a regência do verbo “insistir”, constatamos que ele pode ser transitivo indireto e intransitivo. Clique e confira!
Regência do verbo lembrar
Amplie sua competência linguística, conhecendo aqui a regência do verbo lembrar!
Regência do verbo “induzir”
Dúvidas verbais: Clique e confira uma explicação simples e eficiente sobre a regência do verbo “induzir”.
Regência do verbo “permitir”
Dúvidas verbais: Saiba como fazer a correta regência do verbo “permitir”!
video icon
Professora ao lado do texto"Verbos dicendi".
Português
Verbos dicendi
Dizer, falar, gritar, responder são verbos dicendi, ou seja, palavras que apresentam a maneira pela qual uma pessoa se expressa. Assista a esta videoaula para aprender um pouco mais sobre essa classificação!