Você está aqui
  1. Mundo Educação
  2. Gramática
  3. Sintaxe
  4. Regência do verbo “responder”

Regência do verbo “responder”

O verbo responder pode assumir diferentes sentidos, que determinam sua regência específica em cada uma das acepções.

Observe as orações a seguir:

(1) A professora respondeu à pergunta daquele aluno.

(2) Às acusações o jovem advogado respondeu com clareza.

(3) Um carro buzinou, outro respondeu.

(4) O pai respondeu pelo ato do filho menor de idade.

Conseguimos perceber que, apesar de ser o mesmo verbo que compõe as orações, ele apresenta sentidos diferentes para cada enunciado, não é mesmo? Assim, em (1), o verbo expressa a ideia de “dar resposta”; em (2), o sentido é de “replicar”; em (3), expressa “repetir o som”; e, em (4), a acepção é de “ficar responsável”. Diante desses sentidos, é possível ainda notar que, para cada um deles, a regência do verbo muda, ou agindo como verbo transitivo, ou como intransitivo. Vamos estudar esses casos detalhadamente a seguir:

a) Quando o verbo responder possui o sentido de “dar resposta”, “dizer ou escrever em resposta”, é um verbo transitivo que exige:

  • um objeto indireto em relação à pergunta.

    Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplo:

A professora respondeu à pergunta.

Exemplo:

Ele respondeu minhas cartas.

  • um objeto direto e indireto:

Exemplo:

Respondeu-me que seria impossível conseguir o empréstimo.

b) Quando o verbo responder possui o sentido de “replicar”, “retorquir”, é um verbo transitivo que pede, normalmente, um objeto indireto:

Exemplo:

Às acusações o jovem advogado respondeu com clareza.

c) Quando o verbo responder possui o sentido de “repetir a voz, o som”, não pede complemento verbal, sendo, portanto, verbo intransitivo.

Exemplo:

Um carro buzinou, outro respondeu.

d) Quando o verbo responder possui o sentido de “ser responsável”, “responsabilizar-se”, “fazer as vezes”, é um verbo transitivo que pede objeto indireto acompanhado da preposição “por”.

Exemplo:

O pai respondeu pelo ato criminoso do menor de idade.

Na oração acima, o verbo responder pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “ser responsável”
Na oração acima, o verbo responder pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “ser responsável”
Publicado por: Mariana Rigonatto
Assuntos relacionados
Na frase, o verbo “chamar” é transitivo indireto, tem o sentido de “recorrer” e, por isso, pede um objeto indireto
Regência do verbo chamar
Saiba como se constrói a regência do verbo chamar, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na oração acima, o verbo “interessar” pede um objeto indireto, pois possui o sentido de “importar”
Regência do verbo “interessar”
Saiba como se constrói a regência do verbo “interessar”, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
Na oração acima, o verbo “visar” é transitivo indireto, possui o sentido de “ter por objetivo” e, por isso, pede um objeto indireto
Regência do verbo visar
Saiba como se constrói a regência do verbo “visar”, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa, tais como mirar, apontar, dar visto, ter em vista etc. Por esses diversos sentidos, ele pode ser classificado como um verbo transitivo direto ou um verbo transitivo indireto acompanhado da preposição “a”.
Regência nominal
Clique aqui e veja tudo sobre regência nominal. Entenda a utilidade dessa parte da sintaxe na língua portuguesa. Aprenda mais com exercícios resolvidos sobre o tema!
Regência Verbal de alguns verbos
Esclarecimentos sobre a regência correta de alguns verbos que geram dúvidas.
A regência do verbo acusar está relacionada aos sentidos que ele apresenta
Regência do verbo acusar
A regência do verbo acusar é determinada por meio dos sentidos por ele apresentados.
No estudo da regência do verbo “insistir”, constatamos que ele se apresenta como transitivo indireto, bem como intransitivo
Regência do verbo insistir
Analisando a regência do verbo “insistir”, constatamos que ele pode ser transitivo indireto e intransitivo. Clique e confira!
A regência do verbo agradecer se demarca pelo fato de ele ser constituído de dois complementos: um objeto direto e outro indireto
Regência do verbo agradecer
Que tal conhecer a regência do verbo “agradecer”? Com certeza você não terá mais nenhuma dúvida em relação a esse fato linguístico, pois é só clicar!
A regência do verbo “falar” é demarcada pelo fato de ele se apresentar acompanhado de distintos complementos
Regência do verbo falar
A depender dos complementos inerentes ao verbo “falar”, este obedece a regências distintas. Certifique-se desse fato linguístico aqui!
Conhecer a regência do verbo lembrar: sinal de competência linguística
Regência do verbo lembrar
Amplie sua competência linguística, conhecendo aqui a regência do verbo lembrar!
O uso correto das preposições refere-se a uma característica relacionada à regência de verbos com sentido contrário
Regência de verbos com sentido contrário
Porventura, como anda sua competência linguística? Caso deseje aprimorá-la ainda mais, acesse e confira acerca da regência de verbos com sentido contrário.
Por ser transitivo indireto, o verbo “permitir” exige um objeto indireto como complemento
Regência do verbo “permitir”
Dúvidas verbais: Saiba como fazer a correta regência do verbo “permitir”!
<p>O verbo “induzir” tem origem no latim <em>inducere</em> e pode apresentar diferentes significados</p>
Regência do verbo “induzir”
Dúvidas verbais: Clique e confira uma explicação simples e eficiente sobre a regência do verbo “induzir”.