Whatsapp icon Whatsapp

Doutrina Monroe

A Doutrina Monroe foi instituída em 1823 pelo presidente norte-americano James Monroe. Ela estabeleceu a não interferência europeia no continente americano.
James Monroe foi presidente dos EUA e estabeleceu uma doutrina que promoveu a não interferência europeia no continente americano, no século XIX.
James Monroe foi presidente dos EUA e estabeleceu uma doutrina que promoveu a não interferência europeia no continente americano, no século XIX.

A Doutrina Monroe foi estabelecida pelo presidente dos Estados Unidos James Monroe, em 1823, durante um discurso proferido no Congresso norte-americano que definiu as políticas a serem adotadas pelos Estados Unidos em relação às nações europeias e países latino-americanos. Era uma forma de coibir qualquer interferência da Europa na América, tendo em vista que as antigas colônias estavam atravessando o processo de independência. Além disso, os Estados Unidos se colocavam, a partir dessa doutrina, como o líder americano. Monroe defendia a “América para os americanos”.

Leia também: Eventos e transformações nos Estados Unidos no século XIX

Resumo sobre a Doutrina Monroe

  • A Doutrina Monroe foi estabelecida pelo presidente norte-americano James Monroe, em 1823, impedindo a interferência europeia na América e estabelecendo a liderança dos Estados Unidos no continente.

  • No começo do século XIX, as nações europeias redesenhavam o mapa europeu após o fim da Era Napoleônica e planejavam recolonizar a América.

  • Os objetivos da Doutrina Monroe eram o fim do colonialismo, a reafirmação das independências das antigas colônias europeias e a expansão territorial.

  • Monroe sintetizou sua doutrina na seguinte declaração: “América para os americanos”.

  • Sem a interferência europeia, os americanos adotaram o “Destino Manifesto”, ou seja, a missão de conquistar novas terras e “civilizar” a população indígena.

  • As consequências foram o estabelecimento dos Estados Unidos como grande potência e liderança da América, bem como a consolidação da independência das antigas colônias europeias.

Contexto histórico da Doutrina Monroe

Logo após o fim da Era Napoleônica, em 1815, as nações europeias se reuniram para discutir os rumos da Europa, bem como redesenhar o mapa do Velho Continente, desfazendo a expansão francesa liderada por Napoleão Bonaparte anos antes. Além dessa questão geográfica, a Europa buscava frear o processo de independência iniciado por suas antigas colônias na América. O exemplo da independência norte-americana, em 1776, motivou as colônias europeias na América a também lutarem pela liberdade política e romper laços com as nações europeias.

Na América, os Estados Unidos, país recém-liberto da dependência europeia, pretendiam expandir os seus domínios para as terras a oeste e sul das Treze Colônias. Para isso, era necessário impedir qualquer interferência europeia nos assuntos referentes à realidade do continente americano. Tendo isso em vista, os norte-americanos apoiaram as independências das colônias europeias e foram os primeiros a reconhecer as novas nações latino-americanas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

  • Destino Manifesto

A ideia de se expandir territorialmente começou em 1803, quando o imperador francês Napoleão Bonaparte enviou uma proposta aos Estados Unidos para comprar a Louisiana. Ele precisava de dinheiro para bancar as suas guerras de conquista na Europa. Os norte-americanos fecharam o acordo e deram início à expansão territorial. Desde a chegada à América, os ingleses se estabeleceram na região das Treze Colônias, próximas ao litoral atlântico.

A compra da Louisiana fez com que os norte-americanos olhassem para o interior do território e continuassem a expandir seus limites territoriais. Para que isso se tornasse realidade, foram chamados imigrantes e famílias americanas para ocuparem as terras a oeste. Porém, aquela região já era habitada pelos indígenas. Essa expansão, portanto, provocou conflitos entre os dois povos.

Para justificar esse movimento americano em direção ao litoral do Oceano Pacífico, determinou-se o Destino Manifesto, ou seja, os americanos começaram a acreditar que a sua missão na América era levar a democracia e a “civilização” para as regiões mais distantes do continente, o que levaria à anexação de territórios. Os povos não americanos deveriam aprender os costumes, a língua e a religião praticados pelos americanos. Em pouco tempo, o domínio norte-americano se expandiu das Treze Colônias até o oeste, o litoral do Pacífico.

  • Videoaula sobre os Estados Unidos (século XIX) no Enem

Quais os objetivos da Doutrina Monroe?

Os objetivos da Doutrina Monroe eram:

  • impedir qualquer interferência das nações europeias nos assuntos internos do continente americano;

  • os Estados Unidos apoiaram a independência das colônias europeias na América e foram os primeiros a reconhecer o novo governo estabelecido;

  • não estabelecimento de novas colônias na América;

  • defesa dos princípios americanos e a expansão territorial dos Estados Unidos para oeste;

  • imposição de práticas culturais americanas aos povos indígenas e àqueles que estavam fora da fronteira americana;

  • fortalecer os Estados Unidos como liderança de todo o continente americano.

Leia também: Homestead Act – ação que favoreceu a criação de pequenas propriedades no Oeste dos EUA

Doutrina Monroe

Em 1823, os Estados Unidos eram governados por James Monroe. Em 2 de dezembro daquele ano, ele fez um discurso no Senado norte-americano estabelecendo os princípios daquela que seria a Doutrina Monroe, ou seja, a liberdade dos americanos de resolverem seus problemas internos sem interferência europeia. Monroe batizou sua doutrina com a frase “América para os Americanos”.

Com essa doutrina e com o apoio à independência das colônias europeias na América, os Estados Unidos conseguiram apoio para combater qualquer tentativa europeia de recolonizar o continente, principalmente após a Santa Aliança, reunião de países europeus ocorrida após o fim das guerras napoleônicas. Alguns críticos da doutrina afirmam que os únicos beneficiados foram os Estados Unidos, que expandiram seu território e impuseram sua cultura a outros povos. Além disso, sua influência sobre os países latino-americanos se fortaleceu a partir do estabelecimento dessa doutrina.

Quais foram as consequências da Doutrina Monroe?

Com a Doutrina Monroe, a Europa perdeu não somente as suas colônias americanas, mas também a sua influência sobre o continente. Desde a independência norte-americana que a força europeia na América começou a se enfraquecer. Apesar da tentativa de recolonizar o continente, os Estados Unidos se mostraram fortalecidos para barrar essa possibilidade.

A expansão dos Estados Unidos para o oeste promoveu não apenas o aumento do tamanho do território, mas a descoberta de novas riquezas minerais, principalmente na Califórnia. Além disso, os povos não americanos, como os indígenas e os espanhóis, tentaram barrar essa expansão americana, mas foram derrotados em guerra e foram submetidos à imposição cultural dos Estados Unidos.

Outra consequência da Doutrina Monroe foi a influência norte-americana na América Latina. O reconhecimento imediato da independência das colônias americanas estreitou os laços entre o norte e o sul do continente, facilitando a imposição das vontades e a capacidade dos Estados Unidos de liderar o processo de domínio do continente, já que a Europa não poderia mais fazer o mesmo.

Mapa dos Estados Unidos com a divisão de cada estado.
Mapa dos Estados Unidos começou a ser estabelecido conforme vemos acima, logo após a expansão territorial promovida no começo do século XIX.

Exercícios resolvidos sobre a Doutrina Monroe

Questão 1 - (Mackenzie-SP) A população que, em 1790, era de quase 4 milhões de habitantes passou para cerca de 31 milhões em 1860. Dez anos depois, alcançava os 40 milhões. Boa parte desse contingente era formado por estrangeiros: entre 1830 e 1860 entraram no país quase 5 milhões de imigrantes europeus.

José Robson de A. Arruda e Nelson Piletti. A História dos Estados Unidos da América.

No que diz respeito à fase do expansionismo interno e à ocupação e ao povoamento do atual território norte-americano, teve como justificativa a Doutrina do Destino Manifesto, sobre a qual é INCORRETO afirmar que:

A) explicitava uma visão racista que agia como alimento moral para o desenvolvimento da nação.

B) seus objetivos nunca foram utilizados para legitimar invasões, intervenções ou conquistas territoriais em países do continente americano.

C) baseava-se em um sentimento de superioridade do imigrante europeu branco, diante dos índios e dos mexicanos.

D) contém elementos inspirados no Darwinismo Social, no qual as relações sociais destacam a sobrevivência dos mais capazes.

E) os norte-americanos tinham sido predestinados por Deus à conquista dos territórios situados entre os oceanos Atlântico e Pacífico.

Resolução

Alternativa B. O Destino Manifesto foi utilizado como justificativa dos americanos para expandir suas terras em direção ao oeste e sul a partir das Treze Colônias.

Questão 2 - Leia abaixo o texto do historiador e ex-senador dos EUA, Albert Beveridge:

“Ele [Deus] nos fez os mestres organizadores do mundo para estabelecer um sistema onde reina o caos. (...) Ele nos fez adeptos do bom governo para que possamos administrá-los aos povos selvagens e senis (...) ele marcou o povo americano como Sua nação escolhida para finalmente liderar no trabalho de regeneração do mundo. Essa é a missão divina da América (...) Nós somos os depositários do progresso mundial, os guardiões da paz virtuosa”

BEVERIDGE apud FERES JUNIOR, João. Spanish America como o Outro da América, Revista Lua Nova, n.62, São Paulo, CEDEC, 2004, p. 69-89.

O trecho do texto de Beveridge é um exemplo das concepções ideológicas difundidas através do termo Destino Manifesto. Além do caráter religioso da predestinação dos habitantes iniciais das Treze Colônias inglesas, o Destino Manifesto tinha por objetivo, entre outros fatores, levar aos demais povos da América:

A) a religião calvinista dos puritanos ingleses.

B) a democracia e a civilização.

C) ações militares contra o terrorismo.

D) o combate ao comunismo.

Resolução

Alternativa B. O Destino Manifesto, além da expansão territorial, tinha como objetivo civilizar a população indígena e levar a democracia republicana para outras nações americanas.

Publicado por Carlos César Higa
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Aliança para o Progresso e o anticomunismo
Conheça a Aliança Para o Progresso, o projeto dos EUA para conter a ameaça comunista na América Latina.
Antecedentes históricos da Independência dos Estados Unidos
O estudo dos antecedentes históricos da independência dos Estados Unidos é importante para entender os fatos que culminaram na libertação das treze colônias.
Caudilhismo
Clique aqui e entenda o que foi o caudilhismo. Descubra quais eram seus objetivos e suas características. Saiba quem foram seus principais líderes.
Destino Manifesto
Acesse o site e conheça mais sobre o Destino Manifesto. Veja de que forma essa doutrina influenciou a expansão territorial dos Estados Unidos rumo ao Oeste.
Estados Unidos no século XIX
Clique aqui e conheça os principais eventos que caracterizaram a história dos Estados Unidos durante o século XIX.
Homestead Act
A lei que definiu o processo de ocupação do Oeste Americano.
Leis proibitivas das Treze Colônias Americanas
Saiba mais sobre as Leis proibitivas das Treze Colônias Americanas e entenda por que os colonos americanos reagiram contra elas.
Marcha para o Oeste nos EUA
Saiba mais sobre a formação da América do Norte compreendendo alguns aspectos da Marcha para o Oeste nos Estados Unidos.
Muralismo e Revolução Mexicana
Venha conhecer como os muralistas expressavam sua arte revolucionária em muros, durante a Revolução Mexicana de 1910, levando à população mensagens de luta e reivindicação.
O comércio triangular
A atividade econômica que propiciou o desenvolvimento econômico das 13 colônias.
Revolução Cubana
Acesse o site e veja mais sobre a Revolução Cubana e suas consequências durante a Guerra Fria na América Latina. Conheça os seus líderes e como se deu a revolução.
video icon
"Matemática do Zero | Relações métricas no triângulo retângulo" escrito sobre fundo azul
Matemática do Zero
Matemática do Zero | Relações métricas no triângulo retângulo
Nessa aula veremos que a partir de um triângulo retângulo podemos determinar a altura relativa à hipotenusa e as projeções dos catetos. Para calcular essas medidas, deduziremos fórmulas através de semelhança de triângulos. Essas fórmulas possuem como nome RELAÇÕES MÉTRICAS NO TRIÂNGULO RETÂNGULO.