Whatsapp icon Whatsapp

Regência do verbo chamar

O verbo chamar pode assumir diferentes sentidos, que determinam o tipo de regência que ele pode apresentar.
Na frase, o verbo “chamar” é transitivo indireto, tem o sentido de “recorrer” e, por isso, pede um objeto indireto
Na frase, o verbo “chamar” é transitivo indireto, tem o sentido de “recorrer” e, por isso, pede um objeto indireto

Observando os enunciados abaixo:

(1) Ele disse que chamaria a polícia para proteção dos torcedores.

(2) A professora chamou-lhe de inteligente.

Percebemos que eles possuem o mesmo verbo. No entanto, é notório que, em cada oração, esse verbo apresenta significado diferente e, por isso, pede complementos também diferentes. Em (1), o verbo chamar é transitivo direto, tem o sentido de “convocar”, “mandar vir” e necessita de um objeto direto que lhe complemente. Já em (2), o verbo é transitivo indireto, possui o significado de “qualificar” e necessita de um objeto indireto e um predicativo para complementar seu sentido.

Diante dessas análises, podemos inferir que o contexto no qual se insere determinará a regência do verbo chamar, podendo ter os seguintes significados:

a) Quando o verbo chamar possui o sentido de “fazer vir”, “convocar”, é transitivo direto e usa-se com objeto direto:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Exemplo:

Tocou a campainha chamando o síndico.

b) Quando o verbo chamar possui o sentido de “invocar”, é transitivo indireto e pede objeto indireto encabeçado pela preposição “por”:

Exemplo:

Chamaram pelo diretor.

c) Quando o verbo “chamar” possui o sentido de “qualificar”, “apelidar”, “dar nome” constrói-se:

- com objeto direto + predicativo:

Chamei-o mentiroso.

- com objeto direto + predicativo (precedido da preposição de):

Chamaram-na de florzinha.

- com objeto indireto + predicativo:

Não lhe chamam Mariquinha?

- com objeto indireto + predicativo (acompanhado da preposição de):

A professora chamou-lhe de inteligente.

Publicado por Mariana Rigonatto

Artigos Relacionados

Regência Verbal de alguns verbos
Esclarecimentos sobre a regência correta de alguns verbos que geram dúvidas.
Regência de verbos com sentido contrário
Porventura, como anda sua competência linguística? Caso deseje aprimorá-la ainda mais, acesse e confira acerca da regência de verbos com sentido contrário.
Regência do verbo acusar
A regência do verbo acusar é determinada por meio dos sentidos por ele apresentados.
Regência do verbo agradecer
Que tal conhecer a regência do verbo “agradecer”? Com certeza você não terá mais nenhuma dúvida em relação a esse fato linguístico, pois é só clicar!
Regência do verbo falar
A depender dos complementos inerentes ao verbo “falar”, este obedece a regências distintas. Certifique-se desse fato linguístico aqui!
Regência do verbo insistir
Analisando a regência do verbo “insistir”, constatamos que ele pode ser transitivo indireto e intransitivo. Clique e confira!
Regência do verbo lembrar
Amplie sua competência linguística, conhecendo aqui a regência do verbo lembrar!
Regência do verbo “induzir”
Dúvidas verbais: Clique e confira uma explicação simples e eficiente sobre a regência do verbo “induzir”.
Regência do verbo “permitir”
Dúvidas verbais: Saiba como fazer a correta regência do verbo “permitir”!
Regência do verbo “responder”
Saiba como se constrói a regência do verbo responder, que pode possuir diferentes acepções em língua portuguesa.
video icon
Professora ao lado do texto"Verbos dicendi".
Português
Verbos dicendi
Dizer, falar, gritar, responder são verbos dicendi, ou seja, palavras que apresentam a maneira pela qual uma pessoa se expressa. Assista a esta videoaula para aprender um pouco mais sobre essa classificação!