Whatsapp icon Whatsapp

Entradas e bandeiras

Entradas e bandeiras foram expedições que exploraram o interior do Brasil no século XVIII, descobrindo as minas de metais preciosos e promovendo o povoamento do sertão.
A Cidade de Goiás foi fundada pelo bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva, em uma das várias expedições que organizou em busca de metais preciosos.[1]
A Cidade de Goiás foi fundada pelo bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva, em uma das várias expedições que organizou em busca de metais preciosos.[1]

As entradas e bandeiras forma expedições formadas ao longo do século XVIII e que saíam de São Paulo e do litoral em direção ao interior do Brasil na busca por metais preciosos e índios para serem usados como mão de obra escravizada. Foi nesse período que se descobriu minas de ouro nas regiões de Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. Essas expedições foram importantes na exploração do ouro e na povoação do sertão brasileiro.

Leia mais: Diferenças entre escravidão indígena e escravidão africana

Resumo sobre entradas e bandeiras

  • Entradas e bandeiras foram expedições que saíam de São Paulo e do litoral brasileiro em direção ao interior da colônia em busca de metais preciosos e de índios para serem escravizados.

  • Logo após a crise na produção de açúcar, no final do século XVII, os colonos investiram nas expedições pelo interior do Brasil para explorar novas riquezas.

  • As entradas eram financiadas pela Coroa portuguesa e saíam do litoral brasileiro, enquanto as bandeiras eram financiadas por particulares e saíam de São Paulo.

  • Com o aumento de pessoas nas regiões das minas, surgiram nelas as primeiras cidades, como Ouro Preto, Mariana e Cidade de Goiás.

O que eram as entradas e bandeiras?

Entradas e bandeiras eram expedições que tinham como destino o interior do Brasil, com o objetivo de encontrar metais precisos e indígenas para serem usados como mão de obra escravizada. Essas expedições abriram caminhos para outras regiões desconhecidas dos colonos e aumentaram o interesse em explorar o sertão brasileiro.

Contexto histórico das entradas e bandeiras

Desde a chegada dos portugueses ao Brasil, em 1500, buscava-se metais preciosos. Como não foram encontrados no primeiro momento da colonização, a Coroa portuguesa decidiu investir na produção de açúcar, que era um produto valorizado no mercado externo. O litoral brasileiro tinha solo fértil e clima favorável para o plantio da cana-de-açúcar, e, a partir do século XVI, os engenhos se espalharam pelo litoral.

Contudo, o êxito na produção açucareira foi interrompido em 1630, quando os holandeses invadiram o Brasil e ocuparam Pernambuco pelo controle dessa produção. Após intenso confronto com os colonos, os invasores foram expulsos e se tornaram concorrentes do açúcar feito no Brasil. Os portugueses não conseguiram manter a produção e o preço despencou no mercado.

A crise açucareira fez renascer o sonho dos colonos de encontrar ouro no Brasil. A União Ibérica, junção dos reinos de Portugal e Espanha, suspendeu o Tratado de Tordesilhas, o que permitiu o acesso ao interior do Brasil sem limitações impostas por tal documento. Não demorou para surgirem as primeiras expedições que deram início à exploração do sertão brasileiro. Isso atendia aos interesses da Coroa portuguesa e de particulares, pois ambos queriam encontrar metais precisos e se enriquecerem rapidamente bem como escravizar os indígenas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Importância das entradas e bandeiras

As entradas e bandeiras foram importantes para reconhecer, ocupar e explorar o interior do Brasil. Foram essas expedições as responsáveis por descobrirem as primeiras minas de ouro, o que provocou um grande deslocamento populacional para o interior brasileiro. Outra importância delas foi a abertura de estradas que auxiliaram no transporte e na interligação entre as várias regiões do Brasil. Surgiram as primeiras vilas próximas às minas que se transformariam em cidades como Ouro Preto, Mariana, Pirenópolis e Cidade de Goiás.

A relação entre os bandeirantes e os indígenas não foi apenas conflituosa. Os dois lados trocaram experiências e se ajudaram durante as expedições. Os bandeirantes aprenderam a navegar em rios, o que facilitou o acesso a outras terras distantes do litoral, e conheceram remédios de origem natural, principalmente para cicatrizar as feridas abertas durante as expedições. Como exímios conhecedores das regiões às quais os bandeirantes acessavam pela primeira vez, os indígenas ajudaram na abertura de novas estradas.

Entradas

As entradas foram expedições financiadas pela Coroa portuguesa e que saíram do litoral em direção ao interior do Brasil no intuito de descobrir metais precisos para serem explorados.

  • Características

A Coroa portuguesa já investia em entradas desde o começo do século XVI, quando começou a colonização do Brasil. Enquanto o litoral era ocupado pela plantação de cana-de-açúcar, os portugueses organizavam expedições pelo sertão brasileiro em busca de metais preciosos. O insucesso das entradas se deu pelo temor de algum ataque de tribos indígenas.

  • Participantes

Em 1504, o navegador Américo Vespúcio realizou a primeira entrada rumo ao interior do Brasil, saindo de Cabo Frio (RJ). Martim Afonso de Sousa, envido pelo rei português para administrar a colônia, organizou outra entrada, saindo da Guanabara e de São Vicente. A instalação do Governo-Geral no Brasil proporcionou novas oportunidades para a formação de entradas pelo interior da colônia.

  • Exemplos

Alguns exemplos de entradas:

  • Em 1554, uma entrada organizada por portugueses, índios e padres jesuítas subiu pela serra do Mar e fundou a vila de São Paulo de Piratininga, atual cidade de São Paulo.

  • Em 1518, o capitão Belchior Dias Moreira organizou uma entrada em direção ao Sergipe em busca de metais preciosos, porém sua expedição não teve êxito.

Bandeiras

As bandeiras eram expedições que saíam de São Paulo em direção ao sertão brasileiro, com o objetivo de descobrir metais preciosos e capturar indígenas para serem escravizados.

  • Características

A expedição bandeirante teve como ponto de origem a capitania de São Paulo. Inúmeras rodovias que hoje saem da capital paulista foram inicialmente abertas pelos bandeirantes, e seus nomes as batizam. Os objetivos das bandeiras eram descobrir metais preciosos no interior da colônia e aprisionar os índios para trabalharem como escravos na capitania.

  • Tipos

a) Bandeiras de apresamento: o motivo da expedição era aprisionar os índios para que trabalhassem como escravos em São Paulo.

b) Bandeiras de prospecção: os bandeirantes adentravam no interior do Brasil em busca de metais preciosos.

c) Bandeiras de contrato: a expedição saía de São Paulo para prender os escravizados fugitivos e destruir os quilombos. O bandeirante Domingos Jorge Velho foi responsável pela destruição do Quilombo dos Palmares.

  • Participantes

  • Bartolomeu Bueno da Silva: foi o bandeirante que organizou as expedições que chegaram a Goiás e Mato Grosso. Ele fundou a cidade de Vila Boa, também conhecida como Cidade de Goiás e que, até 1933, foi a capital do estado de Goiás. Bartolomeu Bueno da Silva teria colocado aguardente em uma bacia e ateado fogo para amedrontar os indígenas. Caso não fosse indicado onde estavam os metais preciosos, o bandeirante colocaria fogo nas águas dos rios da região.

  • Borba Gato: a expedição organizada por Borba Gato atuou na região das minas, onde hoje é o estado de Minas Gerais. Teve participação na Guerra dos Emboabas, conflito entre os bandeirantes e os forasteiros pelo domínio das minas. Em 2021, sua estátua localizada na cidade paulista de Santo Amaro foi incendiada por manifestantes contrários à homenagem feita ao bandeirante e que questionam suas atitudes arbitrárias contra os indígenas na época da exploração do ouro.

Estátua de Borba Gato, na cidade de Santo Amaro, São Paulo
Estátua de Borba Gato na cidade de Santo Amaro (SP).[2]
  • Exemplos

As expedições organizadas por Bartolomeu Bueno da Silva chegaram a regiões distantes de São Paulo, como Goiás e Mato Grosso. Os bandeirantes, por meio das navegações no rio Araguaia, conseguiram chegar até o norte da colônia.

  • Videoaula sobre as bandeiras

Diferenças entre entradas e bandeiras

Apesar de terem objetivos semelhantes, as entradas e bandeiras possuem algumas diferenças:

a) Quanto à organização: as entradas foram organizadas pela Coroa portuguesa, principalmente nas primeiras décadas da colonização brasileira. Já as bandeiras foram expedições organizadas por particulares.

b) Quanto à origem: as entradas partiam do litoral em direção ao interior do Brasil, enquanto as bandeiras tinham como origem a capitania de São Paulo.

Saiba mais: Escravidão no Brasil — uma instituição violenta e desumana que existiu aqui por mais de 300 anos

Exercícios sobre entradas e bandeiras

Questão 1) As bandeiras foram expedições que saíam de São Paulo em direção ao interior do Brasil, com o objetivo de:

a) averiguar um local propício para a instalação das primeiras indústrias do Brasil.

b) entrar em guerra com os espanhóis, que tentavam a todo custo anexar territórios pertencentes ao Brasil.

c) buscar metais preciosos e aprisionar índios para serem escravizados.

d) estimular o comércio com a Amazônia.

Resultado: letra C. Os bandeirantes organizavam expedições que saíam de São Paulo e adentravam o interior do Brasil para encontrar metais preciosos e capturar índios para serem escravizados. As bandeiras foram as primeiras expedições a encontrar ouro na região de Minas Gerais.

Questão 2) Assinale a alternativa que corretamente denomina as bandeiras que buscavam capturar escravizados fugitivos e destruir quilombos:

a) bandeira de contrato

b) bandeira de apresamento

c) bandeira de prospecção

d) bandeira de aldeamento

Resultado: letra A. As bandeiras de contrato foram aquelas que saíam de São Paulo, com o objetivo de capturar os escravizados fugitivos e destruir os quilombos.

Créditos das imagens

[1] Commons

[2] Commons

Publicado por Carlos César Higa
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Estátua de Raposo Tavares, um dos principais bandeirantes paulistas
14 de novembro – Dia do Bandeirante
Fique sabendo por que o Dia do Bandeirante é comemorado em 14 novembro e que relação essa data tem com a cidade de Santana de Paranaíba.
O papel desempenhado pela mulher na colônia não se restringe à dominação.
A mulher no mundo colonial
Uma figura que nem sempre esteve fadada ao mando do homem.
As irmandades leigas demonstram outro tipo de panorama sobre a sociedade colonial.
As irmandades leigas
Espaços de crença e socialização no interior da colônia.
Brasil Colônia
Veja as fases e transformações do Brasil Colônia, bem como entenda o funcionamento da administração no Brasil Colonial e os principais conflitos desse período.
Alguns fatos indicam que não foram os portugueses os primeiros europeus a chegar às terras brasileiras.
Conquista ou descobrimento do Brasil?
A chegada de Cabral representou o descobrimento do Brasil ou a conquista de um novo território? Entenda os fatos relacionados ao encontro dos portugueses com as terras brasileiras e com os povos que aqui viviam.
Ao longo de três séculos, cerca de 5 milhões de africanos foram desembarcados no Brasil como escravos.
Diferenças entre escravidão indígena e escravidão africana
Leia este texto e aprenda mais sobre a escravização de indígenas e de africanos no Brasil. Entenda as particularidades de cada uma e saiba quando terminaram.
O Seminário de Olinda tornou-se, excepcionalmente, um grande centro escolar no período colonial brasileiro *
Educação no Brasil Colonial
Saiba um pouco mais sobre os aspectos particulares que envolveram a educação no Brasil Colonial.
A escravidão no Brasil foi uma instituição cruel que existiu durante mais de 300 anos.
Escravidão no Brasil
Leia este texto e aprenda mais sobre a escravidão no Brasil. Veja sobre a origem dessa instituição, conheça os grupos escravizados e entenda como foi proibida.
Pintura anônima do século XVIII, representando a Guerra dos Emboabas
Guerra dos Emboabas
Veja quais foram as causas da Guerra dos Emboabas. Conheça mais a respeito do desenvolvimento do conflito e de suas consequências para o Brasil Colônia.
Algumas representações do índio produzidas pelo artista holandês Albert Eckhout.
O indígena
Alguns dados sobre os diversos povos que habitavam o Brasil antes da colonização.
Os holandeses desempenharam o papel de financiadores e intermediários na empresa açucareira lusitana.
Os holandeses e a economia açucareira
A participação da Holanda no desenvolvimento da economia açucareira no Brasil.
A submissão e o extermínio foram as principais características dos primeiros contatos entre portugueses e indígenas
Portugueses e indígenas: encontro ou desencontro de culturas?
O Brasil foi descoberto ou conquistado pelos portugueses? O primeiro contato entre portugueses e indígenas foi marcado pelo encontro ou desencontro de culturas? Veja aqui.
Tiradentes (esq.) e Cipriano Barata (dir.): personagens marcantes das revoltas coloniais brasileiras.
Revoltas Coloniais
Os levantes que marcaram o fim da colonização portuguesa no Brasil.
video icon
Filosofia
Banalidade do mal | Hannah Arendt
Uma das maiores pensadoras do século XX, Hannah Arendt cunhou o conceito de banalidade do mal. Para a filósofa, havia um tipo de prática do mal (inerente, inclusive, ao regime nazista e a outros totalitarismos) que não era aquela por quem acreditava no mal, mas por alguém que cumpria ordens visando a uma ascensão na carreira militar. Para a pensadora, esse era o mal banal, muito mais perigoso que o mal praticado por quem tem a finalidade apenas no mal em si. Assista ao nosso vídeo para entender o assunto!

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Sigmund Freud
Filosofia
Sigmund Freud
Nessa videoaula você conhecerá mais sobre a vida e estudos do "pai" da psicanálise.
video icon
Thumb Brasil Escola
Literatura
Realismo fantástico
Trazemos uma análise sobre realismo fantástico. Assista já!
video icon
Thumb Brasil Escola
Química
Funções orgânicas
Tire um tempo para entender melhor o que são as amidas