Whatsapp icon Whatsapp

Leptospirose

A leptospirose é uma doença causada por bactérias do gênero Leptospira. É transmitida pelo contato com urina de animais contaminados, em especial roedores.
Rato, um transmissor da leptospirose.
A leptospirose é transmitida principalmente pela urina de roedores contaminados.

Leptospirose é uma doença causada por uma bactéria, que é transmitida pelo contato com urina de animais contaminados ou água ou lama contaminada. A bactéria causadora da leptospirose pode ser encontrada em diferentes animais, mas, no meio urbano, os roedores são os principais reservatórios.

A ocorrência de surtos da doença está associada a épocas de chuva. Além disso, é considerada uma doença de risco ocupacional e acomete com frequência profissionais que trabalham, por exemplo, em arrozais e canaviais, minas e limpeza pública.

Leia também: Febre tifoide — doença relacionada com as péssimas condições de saneamento básico

Resumo sobre leptospirose

  • Leptospirose é uma doença causada por uma bactéria.

  • A bactéria causadora da leptospirose apresenta como principais reservatórios, no meio urbano, os roedores.

  • Os seres humanos são hospedeiros acidentais.

  • O animal contaminado libera a bactéria na urina.

  • A leptospirose é transmitida por meio de exposição à urina de animais, principalmente ratos, lama ou água contaminada pela bactéria.

  • Pode manifestar-se de maneira leve ou grave e pode até mesmo ser assintomática.

O que é leptospirose?

A leptospirose é uma doença bacteriana transmitida por meio da exposição à urina de animais contaminados, principalmente ratos, ou água e lama contaminada pela bactéria.

A doença é endêmica de regiões de climas tropicais e subtropicais e é considerada uma enfermidade de risco ocupacional que pode atingir com maior frequência trabalhadores de minas, arrozais e canaviais e pessoas do serviço de limpeza pública.

Apesar disso, o Ministério da Saúde salienta que a maior parte dos casos ocorre entre pessoas que habitam ou trabalham em locais com infraestrutura sanitária inadequada e que são expostas à urina de roedores.

A doença está também muito associada a enchentes, uma vez que esse fenômeno propicia a disseminação e também garante a persistência da bactéria no ambiente. Isso faz com que epidemias sejam comuns após fortes chuvas.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Agente causador da leptospirose

Como salientado anteriormente, a leptospirose é uma doença causada por bactérias do gênero Leptospira. Essas bactérias são helicoidais e aeróbias obrigatórias.

Elas penetram na pele por meio de lesões, mucosas ou ainda em pele que fica submersa por longo período em água contaminada. A bactéria pode penetrar no corpo ainda pela ingestão de água e alimentos contaminados.

Ilustração de bactérias com formato espiral, do gênero Leptospira, as causadoras da leptospirose.
Leptospira é o gênero de bactéria responsável por causar a leptospirose.

O ciclo de vida da bactéria inclui a liberação da urina pelo animal infectado, a sobrevivência da bactéria no meio ambiente, a aquisição de um novo hospedeiro e a disseminação da bactéria até que ela acometa os rins e seja novamente excretada para o meio ambiente. Vale salientar que o ser humano é considerado um hospedeiro acidental e terminal da bactéria.

Saiba mais: Aumento de doenças causadas pela ação do ser humano

Sintomas da leptospirose

A leptospirose poderá ser assintomática, provocar sintomas leves ou desencadear casos graves. A doença começa a se manifestar de 1 a 30 dias após a contaminação, com início, em geral, entre 7 a 14 dias após a exposição. O Ministério da Saúde divide as manifestações clínicas em duas fases: a precoce e a tardia.

Na fase precoce, observa-se a ocorrência de sintomas como:

Outras manifestações que podem ocorrer são:

  • diarreia,

  • dor nas articulações,

  • tosse,

  • dor nos olhos,

  • vermelhidão ou hemorragia conjuntival e

  • fotofobia.

Mais raramente podem ocorrer o aumento de linfonodos, do fígado e do baço e erupções avermelhadas na pele.

Na fase tardia, pode ocorrer a chamada síndrome de Weil, a qual se caracteriza pelo surgimento de três sintomas: a icterícia (coloração amarelada de pele e olhos), hemorragia e insuficiência renal.

Outras manifestações são hemorragias (que podem ocorrer no pulmão, pele, sistema nervoso central e mucosas), comprometimento pulmonar, lesão pulmonar aguda e sangramento no órgão e síndrome da angústia respiratória aguda.

Diagnóstico da leptospirose

A leptospirose é diagnosticada por meio da análise dos sintomas apresentados pelo paciente e realização de exames complementares. A bactéria pode ser identificada por meio de diferentes exames, tais como a amplificação de DNA, hemocultura, urocultura e Elisa.

Na primeira semana da doença, recomenda-se a realização do exame direto, bem como cultura e detecção do DNA pela reação em cadeia da polimerase. Na fase tardia, por sua vez, recomendam-se a cultura, Elisa e microaglutinação. Exames inespecíficos, tais como hemograma, radiografia do tórax, gasometria e eletrocardiograma, também poderão ser realizados.

Tratamento da leptospirose

A leptospirose é uma doença que é tratada por meio de uso de antibióticos. Em casos graves, a antibioterapia endovenosa deve ser iniciada rapidamente. Além da utilização de medicamentos, medidas de suporte podem se fazer necessárias, tais como ventilação e diálise.

Veja também: A importância do saneamento ambiental para a saúde da população

Prevenção da leptospirose

Como salientado anteriormente, a leptospirose é transmitida por meio de exposição à urina de animais contaminados, principalmente ratos, ou água e lama contaminada pela bactéria. Assim sendo, uma forma de prevenir a doença é evitar contato com água ou lama de enchentes.

Além disso, profissionais que trabalham com limpeza de lama, desentupimento de esgoto e entulhos devem sempre usar proteção, como botas e luvas. Outro ponto importante diz respeito ao controle de roedores, garantindo, por exemplo, a destinação correta do lixo e o não acúmulo de entulhos.

Publicado por Vanessa Sardinha dos Santos
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

Escarlatina
Escarlatina, Agente etiológico, Streptococcus pyogenes, Doença bacteriana, Infecção, Transmissão, Tosse, Espirro, Gotículas de saliva, Processo inflamatório, Secreção pruriginosa, Amídalas, Medidas preventivas.
Bactérias
Amplie seus conhecimentos sobre as bactérias, organismos unicelulares que podem ser encontrados em colônias!
Cárie
Conheça o que é a cárie, suas causas e como prevenir
Doenças relacionadas com a água
Entenda o que são as doenças relacionadas com a água e como elas são transmitidas!
Enchentes
Saiba quais são as principais causas naturais e humanas das enchentes. Veja também as consequências geradas pelo transbordamento dos rios no espaço geográfico.
Enchentes no Brasil
Saiba quais são as principais causas e consequências das enchentes que ocorrem no Brasil. Veja também uma lista das maiores enchentes já registradas.
Pneumonia
Aprenda mais sobre a pneumonia, uma doença que mata muitas pessoas anualmente. Veja aqui suas causas, sintomas e tratamento da inflamação.
Tuberculose
Saiba mais sobre a tuberculose clicando aqui. Entenda o que é essa doença, como ela é transmitida, sintomas, tratamento e como se prevenir.
video icon
"Matemática do Zero | Classificação de triângulos" escrito sobre fundo azul
Matemática do Zero
Matemática do Zero | Classificação de triângulos
Nessa aula veremos que um triângulo pode ser classificado quanto às medidas dos lados (isósceles, equilátero e escaleno) e quanto às medidas dos ângulos (acutângulo, retângulo e obtusângulo).