Whatsapp icon Whatsapp

Sujeito e predicado

Sujeito e predicado são termos essenciais que estruturam a oração. O sujeito controla a conjugação verbal, e o predicado representa o que é dito sobre o sujeito.
Classificações do sujeito e predicado em quadro-negro
Sujeito e predicado são termos essenciais da oração e podem ser classificados de diferentes formas.

Sujeito e predicado são termos essenciais que compõem as orações. Ambos são denominados termos essenciais, pois são imprescindíveis para a construção de orações, exceto nos casos de sujeito inexistente. É de responsabilidade do sujeito controlar a concordância verbal nas orações e é sobre ele que se declara algo no predicado.

O sujeito gramatical pode receber as seguintes classificações: simples, oculto, composto, indeterminado e inexistente. O predicado, por sua vez, é o termo essencial que evidencia declarações sobre o sujeito gramatical nas orações. Entre os tipos de predicado há o verbal, o nominal e o verbo-nominal.

Leia também: Afinal, o que é uma oração?

Resumo sobre sujeito e predicado

  • Sujeito é um termo essencial que representa seres ou fatos sobre os quais se declara algo.

  • É o sujeito que controla a conjugação verbal nas orações.

  • Entre os tipos de sujeito há o simples, o oculto, o composto e o indeterminado.

  • Também existem orações em que o sujeito é inexistente.

  • Predicado é o termo essencial que representa tudo o que é dito sobre o sujeito.

  • Entre os tipos de predicado há o verbal, o nominal e o verbo-nominal.

  • No predicado, sempre há verbos ou locuções verbais.

O que é sujeito?

Sujeito é um termo essencial que compõe as orações. Além disso, o sujeito é o termo essencial que representa seres ou fatos sobre os quais se declara algo e que controla a conjugação verbal. É por essa razão que o verbo ou a locução verbal empregada nas orações concorda em número e pessoa com o sujeito.

Entre os tipos de sujeito gramatical há o simples, o oculto, o composto e o indeterminado. Além dessas classificações, também há as orações em que o sujeito é inexistente.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Tipos de sujeito

As despesas não foram pagas.
(O que não foi pago? As despesas.)

Na companhia deles, o jantar foi desagradável.
(O que foi desagradável? O jantar.)

Ninguém foi ao cinema no domingo.
(Quem foi ao cinema? Ninguém.)

Atenção: São comuns determinadas construções de sujeitos simples tão extensas que dentro delas há outros termos exercendo outras funções sintáticas (adjuntos adnominais), bem como outras orações dentro do próprio sujeito (orações adjetivas). Exemplo:

“O simples fato de exercer o Jornalismo honesto sem detrimento das opiniões ditadas pelo nosso espírito crítico e pela nossa visão da vida e do mundo nos distingue brutalmente dos arautos do pensamento único, representantes e intérpretes da casa-grande.”

Mino Carta

(O que nos distingue? O simples fato.)

  • Sujeito composto: é aquele que apresenta mais de um núcleo explícito.

A chave, a bolsa e o carro foram roubados.
(O que foi roubado? A chave, a bolsa e o carro.)

O meu cachorro e o meu coelho vivem muito bem.
(Quem vive bem? O meu cachorro e o meu coelho.)

Jogadores e técnicos comemoraram a vitória.
(Quem comemorou a vitória? Jogadores e técnicos.)

  • Sujeito oculto: ocorre quando há um núcleo implícito que pode ser facilmente identificado pela desinência verbal, porque é o sujeito que controla a conjugação verbal, e a desinência verbal indica o número e a pessoa do discurso.

Não consigo beber menos do que dois litros de água por dia.
(Quem não consegue? Eu.)

Iremos ao cinema nesta noite.
(Quem irá? Nós.)

Jogamos pedras no telhado da casa de Mário.
(Quem jogou? Nós.)

  • Sujeito indeterminado: indica que houve uma ação praticada por alguém, porém a identidade do sujeito é indeterminada. Existem duas construções com sujeito indeterminado na modalidade culta da língua:

◦ Com verbo flexionado na terceira pessoa do plural:

Falavam alto durante a madrugada.
(Quem falava? Não se sabe quem.)

Furtaram meu celular no ônibus.
(Quem furtou? Não se sabe quem.)

Sujaram a calçada.
(Quem sujou? Não se sabe quem.)

Atenção: O sujeito será indeterminado com a flexão do verbo na terceira pessoa do plural apenas quando o sujeito da ação não for identificável no contexto em que ocorre.

◦ Com verbos intransitivos, transitivos indiretos ou verbos de ligação flexionados na terceira pessoa do singular acompanhados da partícula “-se”:

Chegou-se a cogitar não ir à escola.
(Quem cogitou? Não se sabe quem.)

Vive-se bem quando há paz e segurança.
(Quem vive bem? Não se sabe quem.)

Acredita-se na existência de vida extraterrestre.
(Quem acredita? Não se sabe quem.)

  • Sujeito inexistente: as orações sem sujeito sempre apresentam verbos impessoais, os quais não apresentam um sujeito promovendo a ação verbal. Os casos em que o sujeito é inexistente são os seguintes:

    • Quando fenômenos da natureza são indicados na oração:

Choveu pouco no mês de janeiro.

Relampejou muito ontem.

Nevou em Londres.

◦ Com o uso do verbo “haver” no sentido de existir ou para indicar tempo decorrido:

cinco anos não troco de celular.

Havia várias estrelas no céu naquela noite.

◦ Com o uso do verbo “ser” indicando hora, data, distância e aspectos naturais:

São duas horas da madrugada.

São 18 de outubro.

era manhã de verão quando acordei.

São três quilômetros daqui à sua casa.

◦ Com o uso dos verbos “bastar” e “chegar” no imperativo acompanhados de preposição “de”:

Basta de crendices!

Chega de saudade!

◦ Com o uso do verbo “passar” acompanhado de preposição “de” indicando tempo:

passava das quatro horas da manhã.

◦ Com o uso do verbo “fazer” indicando tempo cronológico ou temperatura:

Faz três anos que viajei a Londres.

Faz muito frio no inverno.

Leia também: Posições dos sujeitos nas orações

O que é predicado?

O predicado é o termo essencial que representa tudo o que é dito sobre o sujeito gramatical. Esse termo sintático sempre apresenta verbos. Nele podemos encontrar, à exceção do sujeito e do vocativo, todos os termos da oração. Entre os tipos de predicado, há o verbal, o nominal e o verbo-nominal. Para identificar o predicado, basta prestar atenção a tudo aquilo que, na oração, não é sujeito. Nos casos em que o sujeito é inexistente, o predicado é o único termo essencial que constitui a oração.

Tipos de predicado

  • Predicado verbal: ocorre quando o predicado é formado por um núcleo composto por um verbo transitivo, intransitivo ou transitivo e intransitivo (bitransitivo) e não pode ser constituído por verbo de ligação:

O motorista chegou. (verbo intransitivo)

O rapaz informou sua classificação ao técnico. (verbo transitivo direto e indireto)

Todos nós visamos a uma carreira estável. (verbo transitivo indireto)

  • Predicado nominal: ocorre quando o predicado é formado por um núcleo nominal. Nesse sentido, o predicado nominal tem o predicativo do sujeito como a parte mais significativa do predicado. Por essa razão, ele pode ser formado com adjetivos, substantivos, pronomes e advérbios. Também é importante lembrar que o predicado nominal é constituído sempre de verbo de ligação + predicativo do sujeito:

    Os alunos parecem bem interessados.
    (verbo de ligação + predicativo do sujeito)

Esse programa de comédia é muito engraçado.
(verbo de ligação + predicativo do sujeito)

Fernanda está muito cansada.
(verbo de ligação + predicativo do sujeito)

  • Predicado verbo-nominal: ocorre quando o núcleo do predicado é formado tanto por um verbo quanto por um predicativo do sujeito ou por um predicativo do objeto:

Renata dormia tranquila.
(verbo intransitivo + predicativo do sujeito)

O povo elegeu-o presidente pela primeira vez.
(verbo transitivo + predicativo do objeto)

Mário considerou a caminhada agradável.
(verbo transitivo + predicativo do objeto)

Leia também: Aposto e vocativo — quais as funções de cada um?

Exercícios resolvidos sobre sujeito e predicado

Questão 1

(IBFC 2008) Assinale a alternativa em que o predicado é verbo-nominal:

a) O garoto tímido fez o discurso.

b) Não encontraram o suspeito.

c) A garota saiu chateada da escola.

d) O garoto continua internado.

e) Ela está feliz.

Resolução:

Letra C

Essa é a única alternativa em que encontramos no predicado um verbo significativo e um predicativo do sujeito como núcleos do predicado, formando um predicado verbo-nominal.

Questão 2

(Funrio 2009) “Dizem que, quando recebeu o Robespierre caído em desgraça…”. Assinale a opção que apresenta corretamente a classificação do sujeito de “Dizem” e uma respectiva explicação para tal emprego.

a) Sujeito inexistente — inexiste um termo a que o verbo possa se referir.

b) Sujeito indeterminado — não se pode ou não se deseja especificar o sintagma que exerce a função de sujeito.

c) Sujeito oculto — é identificável na forma verbal.

d) Sujeito simples — seu núcleo é Robespierre.

e) Sujeito composto — apresenta dois núcleos, Robespierre e Carrasco.

Resolução:

Letra B

Trata-se de um caso em que o sujeito é indeterminado, pois “dizem” indica que uma ação foi praticada por um sujeito que não foi especificado na oração.

Publicado por Elivelto Cardoso e Silva
Assista às nossas videoaulas

Artigos Relacionados

O objeto direto, ainda que deslocado, não pode ser demarcado pelo uso da vírgula, a não ser em casos especiais
A vírgula e o Objeto Direto
Você já se sentiu questionado (a) acerca do uso da vírgula e o objeto direto? Não deixe de conferir sobre algumas dicas importantíssimas!
A vírgula entre as orações coordenadas
Apreenda acerca de todas as circunstâncias de uso!
Adjunto Adnominal e Complemento Nominal
Conceitos e exemplos.
O agente da passiva é quem executa a ação verbal, estando o verbo na voz passiva
Agente da passiva
O agente da passiva é quem executa a ação verbal, estando o verbo na voz passiva. Obtenha mais informações acerca desse termo clicando aqui!
Aposto e vocativo
Entenda o que é aposto e vocativo. Descubra qual a diferença entre eles. Saiba quais sãos os tipos de aposto. Confira exercícios resolvidos sobre o tema.
Compreender a diferença entre classe e função é primordial no estudo da análise sintática e morfológica
Classe e Função
Conhecer a diferença que existe entre classe e função é ponto fundamental para compreender as análises sintática e morfológica. Confira algumas dicas aqui!
Ao analisarmos o núcleo do predicado, definimos se ele é verbal, nominal ou verbo-nominal
Classificação do predicado
Analisando os elementos da oração: Clique e conheça a classificação do predicado.
O objeto direto interno se perfaz de particularidades linguísticas distintas
Objeto direto interno: particularidades linguísticas
Objeto direto interno. Por que tal denominação? Descubra aqui acerca das particularidades linguísticas que o norteiam!
A oração sem sujeito é aquela que apresenta verbos impessoais, os quais não se referem a uma pessoa do discurso
Oração sem sujeito
Neste artigo refletimos a respeito da oração sem sujeito e dos verbos impessoais que dispensam a existência de sujeito do discurso.
As orações coordenadas assindéticas e sindéticas compõem o período composto por coordenação
Orações coordenadas assindéticas e orações coordenadas sindéticas
Orações coordenadas assindéticas? Orações coordenadas sindéticas? Simples, para conhecê-las um clique somente basta!
Uma oração pode expressar circunstâncias e exercer a função de um advérbio em um período composto
Orações subordinadas adverbiais
Conheça as relações de circunstância estabelecidas pelas orações subordinadas adverbiais no período composto.
O sujeito pode preceder, suceder ou aparecer no interior do predicado
Posições dos sujeitos nas orações
Leia este artigo e tire suas dúvidas sobre as posições em que o sujeito pode aparecer nas orações, isto é, ordem direta, inversa e no interior do predicado.
O sintagma nominal tem como núcleo um nome ou um pronome; e o sintagma verbal tem como núcleo um verbo
Sintagma Nominal e Sintagma Verbal
Por meio do sintagma nominal e do sintagma verbal identificamos melhor os elementos estruturais de uma oração. Conheça aqui traços que demarcam tais sintagmas.
Mesa com quadro negro em cima escrito sujeito, ao lado dois livros, alguns lápis e uma maçã.
Sujeito
Entenda o que é o sujeito. Saiba como ele pode ser identificado. Descubra quais são os tipos de sujeito de uma oração.
video icon
Química
Osmose reversa
A osmose reversa é o processo contrário da osmose, ocorrendo por meio do aumento da pressão osmótica. A osmose, por sua vez, é o fenômeno em que o solvente passa de um meio menos concentrado para um meio mais concentrado por meio de uma membrana semipermeável.

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Matemática
Área da esfera
Clique para aprender a calcular a área da esfera.
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Estrangeirismo
Nessa videoaula você entende sobre o estrangeirismo na música "Samba do Approach."
video icon
videoaula brasil escola
História
Crise de 1929
A quebra da bolsa de valores de Nova Iorque afetou não só os EUA, como o mundo. Entenda!