Whatsapp icon Whatsapp

Apóstrofe

Apóstrofe é uma figura de linguagem pertencente à categoria de figuras de pensamento e que consiste em invocar algo ou alguém.
Caderno com escrito “Apóstrofe”, em superfície rosa
A apóstrofe é uma figura de linguagem muito comum em nosso cotidiano.

A apóstrofe é uma figura de linguagem conhecida pela interrupção de uma narração para se dirigir ao leitor ou ouvinte. Esse processo é muito utilizado no cotidiano ou mesmo em produções literárias, no intuito de aproximar o interlocutor de seu locutor, produzindo um efeito de subjetividade maior entre ambos. Em um texto, a apóstrofe refere-se ao vocativo (marca gramatical) justamente por chamar, invocar e interpelar seu ouvinte ou leitor.

Leia também: Estilística — a parte da linguística que se ocupa do estilo e de recursos expressivos

Resumo sobre apóstrofe

  • A apóstrofe é uma figura de pensamento que se refere ao vocativo em um texto, consistindo na interrupção para se dirigir ao leitor ou ouvinte.

  • Ela é um recurso estilístico, isto é, uma figura de linguagem. Por outro lado, o vocativo é uma função gramatical.

  • A apóstrofe e o apóstrofo são palavras parônimas por apresentarem sonoridade e escrita próximas. No entanto, o apóstrofo é uma sinalização e supressão de palavras e a apóstrofe é uma figura de linguagem.

  • A figura de linguagem é um recurso estilístico que apresenta uma série de elementos a fim de tornar a linguagem mais rica e expressiva. Seus tipos são:

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que é apóstrofe?

A apóstrofe é uma figura de linguagem da categoria figura de pensamento que consiste na interrupção que o orador ou narrador faz em seu texto para se dirigir ao seu ouvinte ou leitor (real ou fictício). Ela está muito presente em nosso cotidiano, principalmente em discursos religiosos e políticos, em que o orador evoca Deus ou o povo.

Exemplos de apóstrofe

Minha senhora dona, um menino nasceu: o mundo tornou a começar”

Guimarães Rosa

Criança! Não verás país nenhum como este:

Imita na grandeza a terra em que nasceste”

Olavo Bilac

Ô pacato cidadão, te chamei a atenção”

Skank

Deus, ó Deus! Onde estás, que não me respondes?”

Castro Alves

“Saberás, pois, ó leitor, como nós outros fazemos o que te fazemos ler”

Almeida Garrett

Nesses exemplos, temos grifada a presença da apóstrofe. Em todos eles, o locutor interrompe a sua narrativa para se dirigir a alguém. Nos últimos dois exemplos, o autor se direciona, no primeiro caso, a Deus (religião), e, no segundo, ao leitor (literatura). Também é possível identificarmos nas frases quais são as marcas linguísticas que acompanham a apóstrofe. Vejamos:

Exemplo de apóstrofe

Marca linguística que a acompanha

Minha senhora dona

Criança

Ô pacato cidadão

Deus, ó Deus

Ó leitor

vírgula

exclamação

vírgula

exclamação

vírgula

De acordo com quadro, por se tratar de um chamamento, invocação ou interpelação, a apóstrofe possui marcações linguísticas referentes à pontuação, podendo ser, principalmente, apresentada entre vírgulas ou com o uso do ponto de exclamação.

Esses exemplos foram retirados de produções musicais e literárias. No entanto, como mencionado, a apóstrofe é muito comum em usos do cotidiano. Em discursos políticos ou mesmo em interpelações religiosas, é possível identificarmos a presença dessa figura de linguagem. Observe:

Povo brasileiro! É preciso união para enfrentarmos os problemas que virão.

Senhor, o que eu fiz para merecer isso?

Minha nossa senhora! Isso é um absurdo!

Apóstrofe e vocativo

A apóstrofe é uma figura de pensamento, isto é, um recurso estilístico para evidenciar e tornar mais expressiva a linguagem. Já o vocativo consiste na função sintática exercida pela apóstrofe. Ele é, nesses termos, uma marca gramatical presente no discurso direto.

Assim, quando tratamos de apóstrofe, estamos falando da figura de linguagem e sua funcionalidade associada à expressividade. Por outro lado, quando dizemos sobre o vocativo, estamos tratando de outra função, entendida sob o aspecto gramatical do texto. A apóstrofe se refere, portanto, do ponto de vista gramatical, ao vocativo.

Saiba mais: Aposto e vocativo — qual a diferença?

Diferenças entre apóstrofe e apóstrofo

Apesar de nomes parecidos, apóstrofe e apóstrofo são coisas completamente distintas. A apóstrofe, conforme abordado ao longo do texto, é uma figura de linguagem da categoria figura de pensamento. Já o apóstrofo é um sinal gráfico (‘) que indica a supressão de uma letra.

→ Exemplos de apóstrofo

  • Copo d’água;

  • Vozes d´África;

  • Arraial d’Ajuda;

  • Estrela d’Alva.

Importante: As duas palavras (apóstrofe e apóstrofo) são classificadas como parônimas, isto é, expressões ou termos que se assemelham em relação à grafia e pronúncia, mas que apresentam significados completamente distintos.

O que são as figuras de linguagem?

As figuras de linguagem são entendidas como recursos linguísticos que exploram o sentido conotativo de palavras e expressões. Elas são classificadas em figuras de som, de construção, de pensamento e de palavras. A apóstrofe pertence à categoria figura de pensamento. Em outros termos, ela utiliza como recurso de estilo a emoção, os sentimentos e a paixão, que atuam no campo das ideias.

Exercícios resolvidos sobre apóstrofe

Questão 1

A apóstrofe ocorre nos seguintes casos, exceto:

A) “Deixai-me vós, Senhor Deus!” (Castro Alves)

B) Eu preciso dizer a você, querido leitor, que as coisas não se sucedem como deve estar imaginando.

C) “Pai, afasta de mim esse cálice, Pai” (Chico Buarque de Holanda)

D) “É, Senhor, o contrário que mais temo!” (Bocage)

E) Na segunda-feira, eles desistiram do plano.

Resolução:

Alternativa E

A apóstrofe é marcada pela interrupção de uma narração feita por um narrador ou orador para se dirigir a outra pessoa. Entre as alternativas apresentadas, “Na segunda-feira, eles desistiram do plano” é a exceção, pois a frase não apresenta uma apóstrofe. A narração feita não se desloca para outrem, e a expressão “na segunda-feira” refere-se apenas a uma marcação espacial.

Questão 2

Identifique abaixo o grupo de frases que são figuras de pensamento.

A) Você não foi feliz nos exames; Povo brasileiro! É preciso nos unirmos; “Em terra, em cinza, em pó, em sombra, em nada” (Castro Alves).

B) Procurou no Aurélio o significado daquela palavra; Ele não é nada bobo; “Neste momento todos os bares estão repletos de homens vazios” (Vinicius de Moraes).

C) “Na sala, apenas quatro ou cinco convidados” (Machado de Assis); “Garruchas há que sozinhas disparam” (Guimarães Rosa); “O homem chamar-se mito não passa de um anacoluto” (Carlos Drummond de Andrade).

Resolução:

Alternativa A

Para resolvermos a questão, é preciso identificarmos os tipos de figuras de linguagem que existem. Sendo assim, temos: as figuras de som (aliteração, assonância, paronomásia e onomatopeia); as figuras de construção (elipse, zeugma, polissíndeto, inversão, silepse, anacoluto, pleonasmo, anáfora, quiasmo e hipálage); as figuras de pensamento (antítese, ironia, eufemismo, hipérbole, prosopopeia, gradação, apóstrofe e litotes); e as figuras de palavras (metáfora, metonímia, catacrese, antonomásia e sinestesia).

Classificando as frases da questão, temos:

A) Eufemismo (figura de pensamento); apóstrofe (figura de pensamento); gradação (figura de pensamento).

B) Metonímia (figura de palavra); litote (figura de pensamento); antítese (figura de pensamento).

C) Elipse (figura de construção); inversão (figura de construção); anacoluto (figura de construção).

Como a questão pede que se identifique as frases que apresentam figuras de pensamento, a resposta é a alternativa A.

Publicado por Rafael Camargo de Oliveira

Artigos Relacionados

Tipos de efeitos de sentido na produção textual
Efeitos de sentido: duplo sentido, ambiguidade, ironia e humor
Aprenda o que são e para que servem os efeitos de sentidos, que podem ser construídos por meio de duplo sentido, ambiguidade, ironia e humor.
A estilística é a parte da linguística que se ocupa do estilo e de recursos expressivos para tornar a comunicação mais rica.
Estilística
Aprenda mais sobre a estilística e entenda qual é o seu objeto de estudo. Entenda as diferenças entre estilística fônica, morfológica, sintática e semântica.
Figuras de linguagem
Descubra quais são as figuras de linguagem e os efeitos que causam nos enunciados. Veja exemplos das principais figuras de linguagem e entenda como são utilizadas.
Figuras de linguagem
As figuras de linguagem mais usadas em textos literários, jornalísticos ou publicitários.
As figuras sonoras combinam os sons às palavras, provocando no leitor uma experiência auditiva extremamente agradável
Figuras sonoras
Quer saber o que são as figuras sonoras? Clique aqui e sinta o som das palavras!
video icon
Enem
Pré-Enem | Vinda da família real e a Independência do Brasil
O Pré-Enem é o intensivo preparatório do Brasil Escola para o Enem. Nele nós separamos os principais temas que devem ser estudados a menos de três meses do exame. Nesta transmissão você assistirá à aula sobre "Vinda da família real e a Independência do Brasil" com a professora Nathália Freitas!

Outras matérias

Biologia
Matemática
Geografia
Física
Vídeos
video icon
Videoaula Brasil Escola
Matemática
Área da esfera
Clique para aprender a calcular a área da esfera.
video icon
Videoaula Brasil Escola
Inglês
Estrangeirismo
Nessa videoaula você entende sobre o estrangeirismo na música "Samba do Approach."
video icon
videoaula brasil escola
História
Crise de 1929
A quebra da bolsa de valores de Nova Iorque afetou não só os EUA, como o mundo. Entenda!